Startup curitibana torna Carnaval na Sapucaí mais inclusivo para deficientes visuais



A Veever, startup curitibana que criou um aplicativo que ajuda pessoas com deficiência visual se localizarem pela cidade, levou sua tecnologia para o Carnaval da Sapucaí, no Rio de Janeiro, que começou na última quarta-feira (20/4). A iniciativa permite que pessoas com deficiência visual possam receber descrições, orientações e direcionamentos sobre seus entornos direto em seu smartphone.


Ao baixar o aplicativo da Veever gratuitamente e circular pelas áreas mapeadas do Sambódromo, pessoas cegas ou com baixa visão recebem, por comandos de voz, informações que as auxiliam na interação e locomoção nos espaços.


Essa não será a primeira vez que o Veever será usado em uma atração cultural de grande proporção. Em 2019, a startup fez uma parceria com o Rock in Rio e ajudou a mapear as mais de 20 áreas da Cidade do Rock, tendo um retorno bastante positivo por parte dos usuários e da organização do evento, que na edição desse ano também contará com a solução.

“Depois do Rock in Rio, muitas portas se abriram. No entanto, a pandemia e o consequente fechamento dos espaços físicos segurou o crescimento da empresa por mais de dois anos. Retomar as atividades com um convite como esse, para fazer o evento de maior relevância no nosso país, é uma honra enorme”, afirma João Pedro Novochadlo, sócio-fundador do Veever.

Os desfiles de Carnaval da Sapucaí começaram na quarta-feira (20/4) e seguem até este sábado (23/4). Também haverá a apresentação das campeãs no dia 30 de abril. A expectativa é que passem mais de 70 mil pessoas ao longo dos 5 dias. Além do espaço interno de alguns camarotes, setores do Sambódromo foram mapeados para prover direcionamentos e informações sobre os espaços.


Todo o conteúdo que está sendo disponibilizado ao público do Carnaval da Sapucaí foi produzido pela Zênite Studios, empresa parceira do Veever e que possui como foco prover acessibilidade por meio da audiodescrição.


Tecnologia


Com o Veever, os brasileiros com deficiência visual passaram a ter uma ferramenta gratuita que proporciona maior autonomia e segurança para usar o transporte público, frequentar atrações culturais e circular nas ruas de maneira geral. O modelo é inovador porque funciona a partir da comunicação do aplicativo da startup curitibana com pequenos dispositivos, chamados beacons, que são instalados no objeto que se pretende descrever. Cada beacon possui um texto descritivo que é acionado com a proximidade do aparelho com aplicativo em funcionamento.


“Eles podem descrever uma obra de arte, avisar sobre a chegada de uma linha de ônibus ou informar as características de um brinquedo infantil. Enfim, podem enriquecer e facilitar qualquer experiência humana”, salienta Novochadlo.

Vale do Pinhão

Na avaliação da Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, a solução criada pela Veever é um exemplo da mobilização do Vale do Pinhão para oferecer inovações que respondam às necessidades da população da capital dentro do conceito de cidade inteligente. “A inovação só vale quando se torna um processo social”, acrescenta ela. O Vale do Pinhão é o movimento da Prefeitura e do ecossistema de inovação para promover ações de crescimento econômico sustentável e de smart city na capital.

Texto: Prefeitura de Curitiba

7 visualizações0 comentário