Saldo na geração de empregos em Curitiba bate recorde em 20 anos



Curitiba teve um saldo positivo de 42.835 novos empregos em 2021, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência. O resultado alcançado pela capital foi recorde em 20 anos. O volume mais próximo alcançado foi em 2010, com o saldo positivo de 41.201 novas vagas.

O saldo do Caged é medido pela diferença entre admissões e demissões. Assim, quando o saldo é positivo, significa que houve mais contratações do que desligamentos e vice-versa.

Em relação a 2020, ano do início da pandemia da covid-19, o crescimento do saldo na geração de empregos foi gigantesco. A chegada do novo coronavírus encolheu o mercado de trabalho em todo o país. Em Curitiba, o saldo foi de 2.857 novos empregos, uma diferença acentuada, que representa apenas 6,6% do total de vagas criadas no ano passado.


Por outro lado, o ano de 2021 já superou o ano de 2019 em 121,7%, com um saldo positivo de 42.835, contra 19.325 no ano anterior à pandemia.


Ranking

No ano passado, Curitiba ficou entre as quatro cidades brasileiras que mais geraram empregos com carteira assinada. Foram 446.675 admissões, ficando atrás de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.


Por atividade econômica, a campeã em admissões na capital paranaense em 2021 foi serviços, com 281.828 vagas abertas. Em seguida aparecem comércio (88.555), construção (44.375), indústria (31.593) e agropecuária (324).


Apoio

A Prefeitura de Curitiba mantém programas e ações para dar sustentação à retomada da atividade econômica tanto para trabalhadores quanto para empreendedores. Na reta final de 2021 o município antecipou o pagamento da segunda parcela do décimo terceiro salário e do salário de dezembro dos servidores, movimentando a economia da cidade.


Outras medidas foram tomadas para reduzir o impacto da pandemia sobre a economia. Entre elas, a criação de um fundo de aval, de R$ 10 milhões, com potencial para alavancar até R$ 100 milhões em investimentos por parte das empresas curitibanas.

Para reduzir a burocracia na abertura de negócios, o número de atividades incluídas na lei de liberdade econômica foi ampliado. A lei prevê a dispensa de alguns alvarás para atividades de baixo risco, facilitando o processo. Em 2020, o número de atividades abrangidas pela lei passou de 242 para 545 na capital.


O município também prorrogou o prazo de pagamento de impostos e promoveu um programa de refinanciamento, o Refic-Covid-19, que permitiu o parcelamento de débitos em até 36 meses.


Capacitação

A Prefeitura investe ainda em capacitação para trabalhadores e empreendedores.

Os Liceus de Ofício, da Fundação de Ação Social (FAS), promovem cursos e preparam para o mercado de trabalho quem está em busca de qualificação. Além disso, os Espaços do Empreendedor da Agência Curitiba dão suporte a microempresários e microempreendedores individuais.


O Fab Lab Cajuru, laboratório de fabricação por prototipagem, por sua vez, gera novas oportunidades para estudantes, empresas e comunidade, que podem compartilhar conhecimentos e colocar em prática ideias inovadoras.

13 visualizações0 comentário