Quinze novas salas de recursos em CMAEEs vão quadruplicar atendimento a superdotados



A rede municipal de ensino de Curitiba vai oferecer, já a partir deste mês de fevereiro, mais 15 salas de recursos para atendimento de crianças e estudantes com altas habilidades/superdotação. O número será quadruplicado, das cinco salas atuais para 20, nos Centros Municipais de Atendimento Educacional Especializado (CMAEEs) das dez regionais.


O atendimento educacional especializado, realizado no contraturno escolar, está disponível nas unidades da rede de manhã e de tarde.


A secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, explica que a estratégia de ampliação desse tipo de atendimento surgiu a partir de um grande levantamento iniciado no ano passado em todas as unidades.

“Essas salas já estão sendo estruturadas porque nosso retorno a partir de 14 de fevereiro é com aulas e atendimentos presenciais”, frisou a secretária.

Os professores que atuarão nessas novas salas também já foram chamados pelo cadastro da educação especial.


O Departamento de Inclusão e Atendimento Educacional Especializado (DIAEE) da Secretaria Municipal da Educação já fez a triagem dos novos estudantes que serão atendidos.


Segundo a diretora do DIAEE, Gislaine Coimbra Budel, dos mais de 660 formulários recebidos das escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) com indicação de estudantes que demonstram comportamento superdotado no ano passado, foram identificados 274 para atendimento prioritário neste momento.


“A sondagem em busca desse público segue de maneira permanente ao longo do ano, a qualquer momento os professores podem nos enviar o formulário, que será analisado pela equipe especializada do DIAEE”, explicou Gislaine.


Escola de Pais

A Educação oferece, desde 2019, a Escola de Pais, que tem como missão ajudar os pais dessas crianças a se cuidarem e assim poderem atender com mais tranquilidade o desenvolvimento dos filhos, além de esclarecer dúvidas e receber orientações. Os assuntos envolvem inclusão, superdotação, Transtorno do Espectro Autista (TEA), entre outros.


Balanço

A rede municipal de ensino de Curitiba fechou 2021 com 3.219 estudantes em inclusão matriculados nas turmas regulares de Educação Infantil e do Ensino Fundamental nos CMEIs e nas escolas.


Durante o isolamento gerado pela pandemia da covid-19, em 2020 e no ano passado, os atendimentos da Educação Especial e Inclusiva foram mantidos, porém de maneira remota. Foram mais de 50 mil atendimentos na modalidade on-line.


Com o retorno do presencial, a partir de julho de 2021, no contraturno, o atendimento voltou a ser realizado nas salas de recursos de aprendizagem e multifuncionais das escolas e de altas habilidades dos CMAEEs, assim como nas áreas da psicopedagogia, visual, auditiva e no autismo.


Os atendimentos são realizados por profissionais especializados, conforme as especificidades de cada um.

Ao todo, são 15 modalidades de atendimento oferecidas a estudantes em processo de inclusão, o que inclui crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), transtornos globais do desenvolvimento, altas habilidades/superdotação, síndrome de Down, comprometimento motor, Transtornos Funcionais Específicos, entre outros.

Além de salas de recursos nas unidades e CMAEEs em todas as dez regionais da cidade, a Educação oferece, desde 2019, um centro específico para o TEA. É o pioneiro Centro de Ensino Estruturado para o Transtorno do Espectro Autista (CEETEA), desenvolvido com metodologia específica.


São seis salas de atendimento individual, que já voltaram a funcionar no formato presencial.


Transporte

Os estudantes das escolas especiais têm acesso a transporte adaptado às suas necessidades. É o Sistema de Transporte para a Educação Especial (Sites), que atende 2,4 mil estudantes, em trajetos realizados todos os dias de casa para a escola, e da escola de volta para casa. Ele existe há 37 anos com o objetivo de garantir o acesso dos estudantes às 30 escolas especiais localizadas em Curitiba.


Atualmente, duas empresas administram os veículos da educação especial, a Trans Isaak, de Curitiba, e a Unicarga, de São Paulo. São 72 ônibus ao todo, com 79% da frota renovada.



7 visualizações0 comentário