Paraná inicia eliminatórias para representar o Brasil durante mundial de profissões na China



O primeiro trimestre de dois mil e vinte e dois promete ser decisivo para 20 profissionais de nível técnico formados e treinados pelo Senai Paraná. Eles irão participar das eliminatórias finais para definir os representantes do Brasil no maior evento de profissões técnicas do mundo: a WorldSkills International (WSI), marcada para acontecer de 12 a 17 de outubro no Centro Nacional de Exposições e Convenções em Shanghai, na China.


Todos já são medalhistas de ouro na fase estadual da competição em setores como Tecnologia de Manufatura e Engenharia; Tecnologia da Informação e Comunicação; e Artes Criativas e Moda. Se ganharem o ouro nessa etapa, serão considerados os melhores do Brasil em suas áreas e irão representar o país no mundial que vai reunir jovens profissionais técnicos de 85 países ao redor do mundo.


Em janeiro, o Senai Paraná entra na disputa com seis ocupações: Gestão de Sistemas de Redes TI; Fresagem CNC; Modelagem de Protótipos; TI Soluções de Software; Computação em Nuvem e Robótica Móvel.


João Alexandre Caroleski Fogaça, disputa com Emanuel Amorin, de São Paulo, na cidade de Canoas (RS), na semana de 31 de janeiro a 05 de fevereiro, a vaga para representar o Brasil na ocupação #45 – Modelagem de Protótipos. “A prototipagem para a indústria é fundamental. É o processo que dá forma a algo brevemente projetado por meio de softwares ou desenhado manualmente”, explica Fogaça. “Tomando forma, inúmeras características e funções do projeto podem ser verificadas e analisadas como, cores, movimentações, acessibilidade de manutenção, detalhes anatômicos, dimensões, pesquisa de mercado e demais situações que, por meio de um objeto físico, podemos analisar com maior precisão e confirmar se tudo está de acordo com o planejado”, acrescenta.


Durante a etapa eliminatória, todos os competidores recebem uma prova surpresa que deve ser executada em um período pré-determinado e pode ser fator decisivo para definir o representante em Shanghai. “A prova surpresa torna a competição ainda mais difícil. Sem dúvidas, o profissional que participa da WS, independentemente de qual etapa, torna-se mais completo e pronto para a sua ocupação”, diz Fogaça. “A possibilidade de representar uma nação é incrível, mas devemos estar cientes de que é necessário estarmos aptos para isso”, completa.


Leia mais em https://agenciafiep.com.br/2022/01/19/parana-inicia-eliminatorias-para-representar-o-brasil-durante-mundial-de-profissoes-na-china/


2 visualizações0 comentário